Primeiro Kirinor de Fierswelt de 421 AC

Caríssimos da Ordem dos Estetas!

Hoje parto novamente em viagem e deixo a bela cidade de Palanthas para trás! Pretendo cruzar as Montanhas Vingaard até o próximo dia de Linaras e preciso partir imediatamente. Sentirei saudades é claro, mas as notícias que chegam nessa parte do mundo não me deixam ficar parado. Acredito que vocês também já tenham ouvido sobre exércitos que marcham sob a bandeira de um “Deus Único”. Os mensageiros que vem das terras à leste e sul das planícies de Solamnia dizem ter visto milagres operados pela sacerdotisa dessa tal deidade. Dizem que seu nome é Mina, e sob seu comando homens e mulheres tem se convertido à nova “esperança”…
Sei que o povo sente falta dos Deuses pela sua ausência desde o Verão do Caos. Conheço bem os mortais, e sei das angústias de suas almas! Sim, eu sei… Vi a tristeza da desesperança antes da Guerra da Lança. O que me preocupa é que sinto a mesma desesperança novamente, e dessa vez mais forte. Os céus mudaram sua forma que antes abrigava a constelação de Paladine e as três luas arcanas, os magos perderam assim sua fonte de magia e buscam a magia primordial para realizar suas maravilhas, os sumo-senhores dracônicos dominam territórios a espalham terror… Mesmo aqui, na “Jóia de Solamnia” sofre-se com o domínio dos Cavaleiros de Neraka… O desespero é tão grande que o povo aqui anseia por uma guerra para que os Cavaleiros de Solamnia reconquistem a cidade… Enfim… São tempos difíceis… Qualquer coisa seria capaz de arrastar a fé abalada dos desesperados… Minha fortuna, como vocês sabem, é que entre os mortais há sabedoria e perspicácia, e já fui muitos deles, vivendo nos sonhos de muitos dos mais impressionantes entre todos. Assim aprendi ao longo das eras os segredos para manter a mente forte e impenetrável para as garras da mentira… E posso afirmar! Não há verdade nas palavras do “Deus Único”! Por outro lado, dizem que Mina opera milagres… De onde viria tal poder? Isso me preocupa grandemente, sobretudo porque é um triunfo sobre as mentes fracas…
Sonhei com rumores que falam timidamente sobre os clarins da guerra e seu som ecoando nas terras mais distantes. Tenho sonhado com morte, sangue, destruição… Ouvi o choro das almas aprisionadas nesse mundo. Sim! Há algo errado no cosmos. Ora meus caros. Preparem-se para o pior. Há uma guerra a caminho como uma sombra que cobrirá toda a Ansalon… Não sei bem ainda do que se trata, mas logo descobrirei. Tenho apenas a certeza incomoda de que é o chamado “Deus Único” o responsável por tanta atrocidade.
Por hora meus sonhos me guiam para a distante Abanassínia. Eu vi os devotos do falso Deus perseguirem um homem que carrega em si um grande poder. Uma insígnia em sua testa… Irei descobrir. As noites de viagem me darão mais pistas… Acredito que esse poder pode ser a chave para muitas descobertas e eventos no futuro… Para o Bem, ou para o Mal…
Enfim. Não pude me despedir pessoalmente, mas espero que essas palavras bastem para vocês. Peço que me desejem boa sorte nessa jornada ainda incerta na qual eu estou partindo! Guardem minhas palavras e digam aos seus que fechem seus ouvidos e olhos para o “Deus Único”. Já se foi a Era dos Sonhos e a Era do Poder há muito, muito tempo. Vivemos na Era dos Mortais, e só neles, com suas falhas e virtudes é que podemos confiar se quisermos que os problemas de Ansalon sejam resolvidos. Que venham novos heróis…

O Arauto

Published in: on Janeiro 29, 2010 at 5:00 am  Deixe um Comentário